Agradecemos sua visita e informamos que estamos inativos por tempo indeterminado.

Acesse nossos arquivos no menu ou nos links laterais.

















domingo, 6 de setembro de 2009

Relatório: Audiência Pública - MAB


Dia 2 de setembro aconteceu uma audiência pública no Auditório da Biblioteca Nacional a respeito da situação do Museu de Arte de Brasília (MAB). Sabendo da recente realocação do acervo do MAB para o Museu Nacional da República e receosos de que a situação atual do museu pudesse indicar seu fim, fomos lá conferir e nos atualizar sobre tudo isso.

Para nossa surpresa a audiência tratava-se de uma proposta consistente que, apesar de vários detalhes a serem discutidos, parece ser o único encaminhamento que vem ocorrendo para a manutenção e revitalização do MAB.

Trata-se do seguinte: Foi formada uma comissão, cujos integrantes presentes eram Glênio Lima (MAB), Ana Frade (DEPHA), Wagner Barja (MN), Omar Franco (artista plástico) e Ione Carvalho (subsecretária de cultura do GDF) para analisar e propor soluções para o MAB. A partir das considerações realizadas, o grupo apresentou um plano de fusão do MAB e do MN, bem como um projeto de revitalização das duas instituições, já que nenhuma das duas apresenta-se, atualmente, em condições minimamente próximas das desejadas para esse tipo de espaço.

O novo complexo museológico, cujo nome (questionável) sugerido pela comissão seria “Museu Nacional de Arte de Brasília”, teria duas sedes: a Sede Lago (mantendo o mesmo prédio do MAB, com muitas melhorias) e a Sede Esplanada (atual Museu Nacional, o bolinha). O acervo do MAB seria transformado na Coleção MAB, compondo o acervo total do complexo que seria estabelecido no prédio do Museu Nacional, já que este possui mais possibilidades para isso. O MAB, por sua vez, passaria por um amplo projeto de restauração que também foi apresentado ontem ao público.

Ao que tudo indica, a fusão contempla os dois espaços e oferece excelentes perspectivas para a cidade. Por um lado o MAB seria beneficiado da visibilidade do Museu Nacional e se fortaleceria na fusão, seu acervo ficaria mais bem alocado e a reforma propiciaria mais espaço para cursos, exposições, além de uma área reservada para um laboratório de conservação e reparo de obras, previsto também no projeto. Por outro lado, o Museu Nacional da República se beneficiaria de um dos melhores acervos de arte contemporânea do Brasil o que o faz, de certo modo, ganhar uma identidade, já que ele nasceu (e vem crescendo) como um espaço extremamente problemático e uma de suas principais questões é justamente como formar seu acervo.

Outras vantagens da fusão apresentadas pelo grupo foram: a formação de um programa museológio entre as duas instituições, o fortalecimento político das duas, além do aprofundamento da programação que já vem ocorrendo no Museu Nacional e que teria uma maior versatilidade ao contar com outra sede. Cabe lembrar que dentre os pontos apresentados da programação inclui-se a criação de programas de residências para artistas, oficinas e cursos, além da extensão da pauta de exposições do Museu Nacional (para vocês terem uma idéia estão previstas para 2010 algumas exposições absurdamente fantásticas como Joan Miró, Joseph Beuys, Marc Chagall e parte da coleção do Museu de Arte Contemporânea de Barcelona).

Lógico que tudo isso depende de mil e um detalhes a serem discutidos e realizados e da nossa participação ativa, já que os governos e administrações mudam e nem sempre os projetos tem continuidade (na verdade, quase nunca). Durante a audiência a fusão foi problematizada, pois todos receiam o enfraquecimento do MAB e prezam pela manutenção de sua história na cidade. Mas, acredita-se que a fusão daria maior autonomia e visibilidade ao MAB e, deste modo, boa parte dos presentes acabou apoiando-a.

Devemos, portanto, ficar atentos aos próximos encaminhamentos. Já no final da audiência houve uma certa dificuldade em se manter um direcionamento no debate e não conseguimos ficar para saber ao certo quais as próximas possibilidades de discussão, mas como o grupo mostrou-se aberto a sugestões e a uma integração da comunidade na elaboração desse projeto, em breve estaremos divulgando algum contato para quem tiver interesse na questão e também estaremos atentos às novidades que surgirem.

2 comentários:

Carolina Barmell disse...

.

.isso é que é cobertura.
gostei!

beijo.

.

luciana paiva disse...

valeu carol!

não achei nenhum material na net ou nos jornais que pudesse complementar os assuntos tratados na audiência... é uma pena, mas como vimos lá parece que a mídia local não estava presente.

achei interessante postar o relatório por esse motivo tb, mas é só uma tentativa de acompanhar mesmo. quem quiser/puder complementar será muito bem-vindo!

ah, pra quem tiver interesse achei essa reportagem do correio anterior a audiência: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2009/08/24/diversaoearte,i=137189/MUSEU+DE+ARTE+DE+BRASILIA+ESTA+AOS+CACOS+E+NAO+DA+SINAIS+CONCRETOS+DE+QUE+O+ESPACO+SERA+RECUPERADO.shtml